novembro 28, 2013

a minha vida é uma tragédia grega.

Ontem, dia de festa, fui convidada para jantar com a minha ex-colega de casa e dois amigos dela (GIROS GIROS GIROS MATAVA POR UM PEDAÇO DAQUILO). Uma garrafa de vinho branco depois e uns copos de tinto e vodka, fomos para a festa.
Uma pessoa com juízo pararia aqui de beber. Ou já teria parado muito antes. Eu fui experimentar a tequila.
Resultado: a única coisa que me lembro depois de sair de casa é de me esbarrar contra um vidro com BRUTA força e hoje tenho o nariz e a testa inchados.

novembro 23, 2013

why is a buttface and so can you.

Vamos continuar no tópico em que vos deixei e vou contar-vos mais um pouco das minhas escapadelas pouco amorosas.

Então este rapaz que acha que eu devia arranjar ajuda médica porque estou claramente, obviamente, deprimida (eu acho que devia arranjar uma restraining order) apesar de achar que eu sou instável e possivelmente um perigo para mim e para os outros, faz questão de falar comigo todos os dias. Várias vezes ao dia.
De manhã, saúda-me com um "bom dia, pequena" que rapidamente se torna numa discussão sobre o meu mau feitio ou como ele não entende por mensagem as minhas saídas mais sarcásticas (uma pena, já que o  sarcasmo é cerca de 87% da minha personalidade). Mas isto não o desencoraja, não.

Um destes dias a discussão começou porque eu tenho um blog. Tenho vários, mas tenho pelo menos um. Rapaz insistente e persistente como é, queria, por força, que eu lhe mostrasse o meu blog.
Expliquei, doce e delicadamente, como o meu blog é como que um diário, uma coisa só minha que não mostro a todo e qualquer meia-leca que me passa pela frente.
MEIO ANO DE DISCUSSÃO.
"Só queria ver"
- Mas é privado
"Mas eu não mostro a ninguém"
- Mas é uma espécie de diário
"Mas só te quero conhecer melhor"
- That's a one way street, buddy.

As raparigas que eu conheço queixam-se que os homens não querem nada sério, eu queixo-me do contrário. Não me conheçam melhor. Não há nada de especial cá dentro.

novembro 13, 2013

sometimes i forget how to words and conversations.

Um gajo teve o desplante de me dizer que estava apaixonado por mim seguido de um "estás deprimida" e "chorar sem motivo é sinal de depressão" e "és inútil".
WHAT. EVEN.

A minha vida não existe.

novembro 12, 2013

1. i don’t like folding laundry or talking about my emotions. i’m likely to leave both scattered all over. 2. i’m not much for cooking but there will always be coffee. 3. i’ll wear anything of yours with sleeves. i love when they’re long enough to wrap around my hands. 4. sometimes the world is too harsh, too big. it’s hard to leave the house on days like those. 5. when i was sick as a kid my mom would run a bath for me and wash my hair. it was always so soothing. maybe you could do that every once in a while. 6. i find it difficult to finish most things. my room is home to countless journals of incomplete thoughts. 7. i won’t love you any less in december. i think my heart just wasn’t meant for the cold. 8. i never truly know why i’m crying so don’t bother to ask, simply be there. 9. there’s whiskey in the medicine cabinet. 10. if things get terribly bad, please don’t give up. get me in the car and drive to the sea. the waves beneath my toes will wake me up and i’ll be yours again.
— things to know before promising you’ll stay

setembro 13, 2013

Borboletas sociais

Sabem quando eu tinha um blog onde eu escrevia regularmente e até escrevia coisas com (pouca) piada?
Isso era dantes, porque agora eu tenho um canal do YouTube, daqueles onde ponho vídeos a falar de merda. E eu fiz um, do qual até me orgulho minimamente, e ando a debater-me com a seguinte questão: devo mostrar aqui e fazer publicidade própria sem vergonha absolutamente nenhuma ou guardar-me qual moça recatada?

setembro 09, 2013

CARALHO!

A DONA DESTE BLOG JÁ É LICENCIADA, PORRA!